sexta-feira, dezembro 29, 2006

Porque se coça o Messias


A Psicasténica foi a Belém louvar o Menino e por isso esteve de férias. Porém, como respeitamos os nossos queridos leitores (afinal uma das grandes razões da nossa enfermidade…) esta posta é a resposta a uma sugestão da fiel Joaninha Em Fuga. Por isso…

PORQUE SE COÇA O MESSIAS

Coça, coça, Messias coça!
Mete a unhaca nas entranhas
Arrepela a comichão, coça, coça, Messias, coça!
É o cotão depositado? É o piolho maroto? A colónia de chatos?
Seja o que for…ninguém compreende e coça com força o Messias!
Anda Messias, mostra a pujança desses dedos!
Esgravata a púbis e coça, coça, Messias, coça!
Coça como ninguém, coça com o dedo, coça com a alma!
Coça como se a tua vida dependesse disso!
O GNR coçador, o Messias do prurido…afinal é Messias quem coça…
Por isso coça, coça, Messias, coça!
Como se o mundo parasse à tua volta
Como se voasses nos céus de bronze no fim de uma tarde de Verão!
Mas coça, Messias!
Ah…era uma micose, claro está!
E não paras de coçar!
Coça, coça, Messias, coça!
Mas para teu bem tenta não fazer ferida!


SUB-LODO

P.S.: a Psicasténica aproveita para desejar a todos os comentadores um Feliz e Psicasténico ano de 2007.

quinta-feira, novembro 23, 2006

CSI GNR


23:38
O posto da GNR de Vila Franca das Naves é alertado pela notícia de um crime hediondo: foi encontrado um cadáver numa habitação em estado de decomposição…não avançado…mas já cheirava…era “assim-assim” de decomposto.

23:41
O Capitão Nogueira assume o controlo das operações coadjuvado pelo Primeiro-Sargento Peres e o Cabo Adjunto Messias.

23:44
PERES
– Meu Capitão: a tasca do Cardoso ainda está aberta. Podíamos lá ir à bucha antes do serviço…
NOGUEIRA – Os fritos dão-me cabo da figadeira, mas já estou com a traça.

Messias coça os tomates.

0:12
A task force chega ao local do crime. O cenário não é animador; num quarto, com a cama desfeita, encontra-se o corpo nu de uma jovem e sinais evidentes que denunciam uma noite de abusos: garrafas, seringas, maços de tabaco e pontas de cigarros. Na cama, junto ao corpo ensanguentado, manchas evidentes nos lençóis.

PERES- Bem boa que era… Ó Messias…ias lá todos os dias!!! (risada geral)
NOGUEIRA- Vamos mas é trabalhar! Deixem-me só tirar o cheiro a chamuça das mãos (e limpa as mãos à ponta do lençol desentalado). Ó Messias! Vê lá se encontras aí um Brise que isto cheira mal que se farta!
MESSIAS- Pode ser perfume floral, meu Capitão?
NOGUEIRA- Qualquer coisa, porra! Pulverizem é isto tudo que assim não se pode trabalhar! Ó Peres…anda cá ajudar a limpar o chão. Um gajo nem pode andar por aqui à vontade…
PERES (enquanto apanha uma mini do chão) - Está aqui uma bejeca a meio… Deixe-me só beber um golinho que eu fiquei enfartado das sandes de coirato…
NOGUEIRA- Então para isso, descansamos um bocadinho que há aí cervejinhas que cheguem para todos.

Messias acende dois cigarros que sobraram de um maço. Sentam-se no chão do quarto depois de varrerem tudo para a rua.

1:25
Messias chega a fronha da almofada ao seu Capitão

MESSIAS- Tome lá Capitão…limpe as beiças que essa espuma da cerveja no bigode não lhe dá um ar profissional e assim como assim, ela já não precisa da fronha…
PERES- Por falar em fronha…se aquelas manchas nos lençóis são daquilo que eu penso, quem não mexe lá sou eu…
NOGUEIRA- Ninguém mexe, chiça! Nós somos profissionais! “P’la lei e p’la grei”…não é para fazer javardices! Tira-se a catraia para o canto, embrulham-se os lençóis com o resto do lixo e deita-se tudo fora! Um tipo não é pago para isto!
PERES- É que mete nojo…é só manchas e sangue e cabelos e o camandro… Embrulha-se e desenrasca-se aí uma esfregona e está feito.

Messias coça os tomates.

MESSIAS- E a garota, meu Capitão?
NOGUEIRA- Morreu enterra-se! Está visto que morreu daqueles golpes na barriga. Aquilo foi esfaqueada e caso resolvido.

2:39
MESSIAS
- Ó Peres…agora que já limpámos e entregámos o corpo à funerária…isto fica assim?
PERES- Epá, Messias…não compliques. Se quiserem saber mais chamam os meninos da Judiciária. Eles são pagos para isto. Eu estou aqui a estas horas e não é por isso que recebo mais.
NOGUEIRA (enquanto puxa o autoclismo)- Rapaziada: já mandei o meu fax…vamos lá embora que se faz tarde!
PERES e MESSIAS- É para já, meu Capitão!
NOGUEIRA- Isto é para homens de barba rija…por esta já merecemos uns dias de descanso. O juiz deste caso havia de nos dar metade dos ordenados por lhe deixarmos a papinha feita!

Messias coça os tomates.

SUB-LODO

P.S.: nenhum gato foi magoado na elaboração deste post.

sábado, novembro 04, 2006

Atirei o pau ao gato...


...oops! Enganei-me! Não era um pau. Era uma ogiva nuclear...e não é que o gato morreu mesmo? Só lhe passou de raspão...e nem tugiu, nem mugiu (pudera...era um gato). Ao menos a D.Xica pode estar descansadinha a fazer biscoitos, enquanto o pessoal mata gatos à vontade!
SUB-LODO

sexta-feira, outubro 27, 2006

Considerações do Katano: Fight Club de celebridades



Longe de este post ser influência do filme de David Fincher (e diga-se desde já que é um filme bestial), deve-se sim a um documentário sobre a Tailândia. Conhecida pela gastronomia repugnante, a boa vontade laboriosa das crianças e claro pelas lutas clandestinas. Homens, armados apenas com os nós dos dedos, cansados depois de 17 horas de serviço na fábrica têxtil, defrontam-se, até ao momento em que um deles tomba como um doente de narcolepsia preguiçoso na secção de camas da Moviflor (ou IKEA…). E foi enquanto via algumas imagens de um vídeo-amador durante um desses combates que me ocorreu: «Epá, como será que o tailandês atarracado se safava contra o Charles Bronson?». Não foi preciso mais. Logo me ocorreu a criação de uma liga de combates com figuras conhecidas. Mais ainda, e de forma a tornar o post mais interactivo, VOCÊ pode escolher o vencedor de cada combate! O processo é simples: vão ser enumerados vários lutadores, com as respectivas características, pontos fortes e fracos. Quando comentar o post, escolha os dois lutadores que preferia ver espancarem-se um ao outro. Os lutadores com mais votos defrontar-se-ão na próxima «Considerações do Katano: Vou desfazer-te a cabeça á dentada!».

Chuck Norris: A idade não pesa neste homem. Quem não se lembra do pontapé voador que atravessou o vidro de um carro em andamento?! Existem rumores de que a legião de fãs de Walker, o Ranger do Texas, quer ser reconhecida como seita religiosa. Fanatismo, roundhouses mortais e fatos de licra justos, são o que se espera num combate com Chuck Norris.

Bud Spencer: Velho, lento e gordo? Nada mais longe da verdade! O homem que vencia 34 adversários á base da estalada na cara ainda tem muito para mostrar ao mundo. Infelizmente dependia demasiado do seu colega, Terence Hill, nas lutas.

Bruce lee: O homem das mãos relâmpago! O adversário deste homem leva três murros antes de ser aperceber sequer da dor do primeiro pontapé nos tomates. De mota, com ferros, a tiro, ninguém o vencia. Sem dúvida um forte candidato! Tem apenas um pequeno impedimento que é capaz de condicionar a prestação dele neste combate: já morreu.

A padeira de Aljubarrota: Desde cedo a quebrar tabus, Brites de Almeida, nunca foi mulher para aturar malcriados! Ai do triste que se queixasse de que o pão estava queimado… PÁS!! Mocada na testa e venha o próximo cliente. É a única lutadora a quem é permitido o uso de arma.

José Castelo Branco: Não sabe lutar e aliás acha isso uma coisa horrível. Contudo vai usar um fato criado por um estilista amigo seu que jura ficar «a matar». Quanto a vocês não sei, mas eu pagava para o ver lutar…

Van Damme: É belga, consegue fazer a espargata e já foi clonado num filme. Andou nos tops à coisa de alguns anos mas agora consta que já apanhava no pêlo de um arrumador de carros descontente com uma gorjeta de 20 cêntimos . Deus sabe como os arrumadores são perigosos….

Tieta do Agreste: Nunca a viram lutar? Porra, então não se lembram de a ver atirar a rival de um prédio nos últimos episódios?! Quem atira alguém de um prédio merece entrar nesta liga. Isso e sempre tive um fraquinho por ela e pela Maíte Proença…

Morais Sarmento: Ex-principe dos ringues de Boxe. Droga, violência, politica…. A vida deste homem dava um enredo de filme de acção de categoria B. Provavelmente derruba o adversário com um «jab» certeiro no queixo se lhe acenarem um bocado do estimulante do Maradona.

Zidanne: Sofre do grande defeito dos futebolistas nas lutas: não usa as mãos, com medo de sofrer falta. Longe de ser uma limitação, a sua cabeça (preparada para este fim desde que era uma catraio a dar cabeçadas em pregos para ajudar o avô a construir um barracão) é uma «arma» perigosíssima nas mãos erradas.

Kim Jong-Il: «Metam-se comigo e levam com um míssil!» é o lema deste homem. Baixo? Talvez… Fraco? Há quem o diga… Psicótico? Sem dúvida! O adversário deste homem terá a árdua tarefa de derrubar o líder do «Eixo do Mal». O presidente Bush comprometeu-se a derrotá-lo mas de momento não pode porque doem-lhe os dentes. Por incrível que pareça são os mesmos que o impediram de combater no Vietname (chiça que é preciso ter azar…).

Vote nos seus favoritos!

terça-feira, outubro 17, 2006

Os Grandes Portugueses


Caros leitores, a Psicasténica já nos habituou a estar na linha da frente da inovação e da criatividade. A posta que aqui hoje surge não foge à regra. Decidimo-nos por vos apresentar um concurso completamente inovador a que demos o nome de "Os Grandes Portugueses" e que consistirá em escolher a figura mais importante da história do nosso país. Para que não vos percais na imensidão de figuras históricas da nossa nobre nação, a Psicasténica oferece-vos uma short list com algumas biografias para vossa orientação. Esta lista não obsta, contudo, ao surgimento de outros nomes que julgueis pertinentes.
Aguardamos expectantes o vosso contributo e em breve divulgaremos o vencedor.

D. Afonso Henriques - Fundador de jovens nações


Nascido em Zebras, concelho de Valpaços, D. Afonso Henriques cedo se viu privado da companhia e exemplo de seu pai. Apesar de jovem, o pequeno Afonso não se coibiu de assumir o papel de chefe de família e traçou, há mais de 800 anos, o que ainda hoje é o estereótipo do bom português. Começou, desde logo, por se fazer sócio do Benfica (1º sócio, daí o cognome de "O Fundador"), renegou a sua família por ser espanhola e tratou sua mãe com um afecto desmedido. Se por vezes foi mais físico na demonstração deste afecto foi-o de forma completamente justificada dado que D. Teresa, sua mãe, era espanhola e não guardou castidade após a morte de seu pai. Este relacionamento familiar lançou as bases para a secular tradição da violência doméstica que é, a par das touradas, uma das mais bonitas tradições do nosso país.
Foi também D. Afonso Henriques o primeiro Chefe de Estado a lançar-se no combate ao terrorismo dedicando parte da sua vida ao extermínio de radicais islâmicos.
É graças a ele que não somos todos da Al'Quaeda ou pior ainda, espanhóis!


Pedro Álvares Cabral - 1º Chulo Intercontinental

Também natural de Zebras, foi um verdadeiro bon vivant que revolucionou o lazer no nosso país. Presidiu à Associação de Estudantes de uma Universidade privada e numa viagem de finalistas um pouco atribulada descobriu o Brasil. O objectivo era uma festa numa caravela ao largo de Peniche mas "acidentalmente" foram todos parar ao Brasil. A viagem foi um sucesso e o Brasil é, ainda hoje e graças a ele, o maior destino de viagens de finalistas. Contudo, este acaba por ser um ponto menor quando comparado com a grandiosidade do seu outro feito. Pedro foi o 1º importador de carnes do Brasil tendo trazido consigo uma nau repleta de voluptuosas morenas tropicais.
Sem ele os prostíbulos portugueses estariam repletos de mulheres peludas e de bigode e não tínhamos visto a Escrava Isaura. Uma figura incontornável.


Soraia Chaves - Ciência/Medicina

Apesar de todos os avanços da ciência no combate à impotência masculina, nenhum medicamento produziu efeitos tão positivos como a simples fantasia de sodomizar Soraia Chaves. O relato do Homem do Coiso, celebrizado pela Liga dos Últimos e impotente crónico é esclarecedor: É só pensar que ela bem, e que tira o coiso e eu coiso... Num é o Pinto da Costa, é a Soraia que coiso. O Pai Natal é Deus e a Soraia coiso. Debiam imbestigar...
A Real Academia Sueca equaciona o seu nome para um Nobel.


Alberto João Jardim - Sustentáculo da PAC

Já dizia Salazar: beber vinho é dar de comer a um milhão de portugueses. Alberto João, um político da velha escola, leva a sério o ditado mas defende que as circunstâncias históricas se alteraram. Segundo AJJ, como Pertegal é membre da Oropa temos o dever de beber veinhe nã só pele melhão de predutores pertegueses mas seim peles veinte melhões de predutores eropeus. Dados da Comissão Europeia revelam que o consumo diário de vinho do Presidente do Governo Regional da Madeira é suficiente para sustentar a produção vitivinicola da União.
Alberto João Jardim é também o exemplo vivo que, em democracia, qualquer idiota, por mais soez que seja, pode aspirar a ser eleito e reeleito durante 30 anos com percentagens esmagadoras.


Zézé Camarinha - Geneticista/Filósofo

Com os Descobrimentos percorremos o mundo e povoamos todos os continentes. Zézé Camarinha fez tudo isso sozinho sem sair da Praia da Rocha. Há hoje aproximadamente 5 biliões de luso descendentes sendo que 98% destes saíram directamente do testículo esquerdo do Mestre Zézé e 1,9(9)% do seu testículo direito. A ele devemos a supremacia racial lusitana no mundo actual.
Zézé, contudo, é mais que um simples reprodutor sendo-lhe reconhecida uma artéria filosófica que o equipara a Sócrates, Descartes ou mesmo José Veiga. Ficará para a posteridade a sua famosa reflexão As mulheres são uma coisa linda e devem ser tratadas como gente. Um hino.


Senhor Anselmo - Desportista / Artista / Político / Descobridor / Cientista / etc...

A dimensão ímpar desta figura e o seu papel e influência na História Universal dispensam quaisquer comentários adicionais.


E para si, quem é o maior português?

sexta-feira, outubro 13, 2006

AO FIM DE 9 MESES...


Hoje, Sexta-Feira, 13 de Outubro de 2006 a Psicasténica faz 9 meses...o parto foi difícil, mas foi com muito prazer que a concebemos naquela madrugada de 13 de Janeiro de 2006...Sexta-Feira, pois claro...

SUB-LODO
TIGRÃO
BICHINHO
KATANO

domingo, setembro 24, 2006

Considerações do Katano: sindromes e doenças do século XXI (parte 1)


Não queria ter de ser eu a dizer-lhe isto, caro cibernauta, mas andam aí umas doenças que fazem o ébola e a tuberculose parecer meras constipações de Verão. Ora veja alguns exemplos:

«hey, piercings são fixes»! Conhece esta doença? Vê-se muito na emigrantada e nos putos. Segundo cientistas do I.S.A. (Instituto Senhor Anselmo), estamos a falar de um parasita que, uma vez no corpo do hospedeiro, lhe dá vontade de espetar pedacinhos de metal pelo corpo fora. E muitas vezes nos locais mais incómodos possiveis. Se estiver a ler isto e tiver um piercing... bem... seja, forte! Isso não dura para sempre. É só até arranjar um emprego decente e o seu chefe conservador lhe mandar arrancar essa treta antes que espete consigo na rua (aparentemente o parasita teme o desemprego e abandona o corpo do hospedeiro ao ouvir estas palavras). Curável, apenas se identificado a tempo.
E a doença que ataca os velhotes: «no meu tempo é que era!»? Vá lá, esta é conhecida... Quase todos os velhotes a têm. É fácil de identificar. O seu velhote começa a queixar-se de todo o conforto á sua volta e de como agora tem muito para comer e liberdade de expressão. Cientistas do I.S.A. Descobriram que um virus latente é desperto quando fazemos 60 anos e faz-nos ficar nostálgicos do tempo em que eramos perseguidos pela P.I.D.E., havia fome e a alta taxa de mortalidade era explicada como sendo culpa dos comunistas. Se o seu velhote começar a dizer «...no tempo de Salazar é que era!», então está tudo perdido.... Não há cura conhecida!
Temos também essa perigosissima maleita que é «mãmã, quero ver os morangos». Descoberta por cientistas da TVI (contratados pelo José Eduardo Moniz para criar uma versão heterosexual do Manuel Luís Goucha) á coisa de alguns anitos, iniciou desde logo aquilo que se pode chamar uma crise epidémica. Qual gripe das aves?! Quando se vê crianças de 7 anos a arrastar os pais para casa porque vai dar a novela, sabemos que algo está mal! Tem como principais sintomas: o seu filho quer ver novelas (isto é anti-natura, e você pergunta-se porque raio quer ele ver novelas se quando dava a «Tieta do Agreste» o puto fugia de medo...); começa a desenvolver tiques de deliquente; quer passar o dia num bar, arrendar uma casa na praia e ir ao Brasil com os amigos Se é mãe, e os sintomas indicam que seu filho(a) contraiu esta incurável doença, então tenho más noticias... a TVI vai lançar mais uma temporada deste «virus». As formas de prevenção vão desde mudar-se para a aldeia da Pena (sem electricidade não há TV) ou arranjar um emprego para o seu filho no horário da novela (o que é que o puto tem a mais que milhões de crianças no 3º Mundo???)
As Considerações voltam em breve com mais problemas que afligem a sociedade portuguesa no século XXI. O Dr. Katano despede-se.

domingo, setembro 17, 2006

Dá-me cá uns abalos ao pífaro.

Provavelmente
muitos de vós conhecem a expressão que hoje entitula este breve exercício de mateologia. Mas, pergunto eu, já alguma vez, no vosso íntimo, naquele profundo do vosso ser suficientemente profundo para isso, se perguntaram mas afinal, o que é essa coisa de abalar o pífaro?
Não? Então vou dar-vos agora essa oportunidade... fechem os olhos, respirem fundo e continuem a ler.
Os abalos ao pífaro são como os abalos sísmicos... dependem da intensidade. Assim, e mais uma vez, para tornar o mundo num mundo melhor, a bichinho inova e propõe a escala de bichinho para avaliar a intensidade dos abalos ao pífaro:

Grau 1: Abalitos no pífaro

São os da praia, no calor do verão e os que acontecem sempre que um gajo sem tendências brokebackmoutainianas vê uma gaja... indicador de que o abalo explosivo pode acontecer a qualquer momento. O Grau 1 corresponde ao estado natural do homem.

Grau 2: Dá-me cá uns abalos ao pífaro!!

É o abalo típico do homem que leva o corte, a tampa, em breve, do gajo que é rejeitado. Soa a indiferença, com um insinuar de ela nem valia nada, mas é mais profundo que isso. Afinal de contas o pífaro fica mesmo abalado e interroga-se onde é que eu falhei?

Grau 3: Dás-me cá uns abalos ao pífaro...

É o abalo do engate masculino de Verão 2006, no Tuvalu, ditador da moda de engates contendo a palavra abalo. É o primeiro passo para meter conversa com as míudas. O homem, abre os botões da camisa até meio, puxa do medalhão dourado, palita os dentes com a unha comprida do dedo mindinho, e com um sorriso rasgado, aproxima-se do alvo e susurra-lhe, tão proximo quanto possivel, um Dás-me cá uns abalos ao pífaro... deixando pairar a sensação de mistério e surpresa...

Grau 4: Abala-me o pífaro.

Ultrapassado o dás-me cá uns abalos ao pífaro (após muitas tentaivas porque normalmente depois desse retrocede-se ao grau 2) com sucesso, o segundo passe de mágina no engate: Abala-me o pífaro. Dito com muita sensualidade e com certo grau de intimidade pode fazer milagres. No mesmo sentido pode ser utilizado um Embála-me o pífaro.

Grau 5: Deixaste-me o pífaro abalado!
.
É o terror, o caos, a queda do império, o desvanecer de todos os sonhos, o deixar a flor murchar. Estado irreversível e com têndencia a agravar-se.
.
Grau 6: Ele tem um pífaro abalado!!
.
Pode acontecer em qualquer lado, inclusivamente numa conversa-de-casa-de-banho de senhoras!!
.
.
Portanto meus senhores e minhas senhoras quando pensarem em dar abalos ao pífaro vejam lá no que se metem!!

quarta-feira, agosto 30, 2006

Regresso às aulas é na Psicasténica

Está a acabar a silly-season…é o cliché desta época do ano, verdade? Ele é o retorno do campeonato de futebol, as rentrées políticas e claro, o regresso às aulas! É adorável ver as carinhas sorridentes dos petizes a caminho da escolinha. Que bom! Uma mochila nova! O estojo dos lápis de cor! Aqueles olhinhos brilhantes que dizem “voltar à escola é mesmo bom”! O TANAS! Mas alguém ficava contente quando cheirava a fim de Agosto? Façam lá um esforço de memória e lembrem-se da agonia que era ver os anúncios de regresso às aulas (=fim de férias). E voltar a vestir calças e roupa de manga comprida (=fim de férias)? E ouvir os pais dizer que “este ano não te podes descuidar” (=fim de férias)? Mas o fantástico mundo da publicidade faz com que tudo isto pareça um mar de rosas! Já pensaram como seria credível o anúncio “Funerária Lemos - funerais dignos de um rei”? Imaginem só um jardim florido em que até a viúva sorria ao ver um féretro com as cores da moda e acolchoado com veludo italiano. Os filhos do defunto surgem em grande plano a sorrir convencendo-nos que querem ser os próximos a ir desta para melhor e no fim, um close-up do finado com um ar angelical e um sorriso maroto a querer aparecer nos seus lábios roxos. Em escala diferente é o que querem as cadeias de hipermercados fazer com o regresso às aulas (até a expressão deve estar patenteada). O mundo da publicidade fascina-me e aproveitei a deixa de uma pessoa amiga para me referir a ele. Mas não vos amolo mais…fico à espera das vossas reacções aos reclames mais infames, enquanto na minha cabeça pululam anúncios de pensos higiénicos em que alegria é tão contagiante (só pode, para fazer um gajo esquecer para que é que eles servem) e só comparável à alegria da família que toma contacto com Kinder Surpresa (como se tivessem resolvido o problema da pobreza no mundo). Entretanto olho para o rótulo da minha Pedras Pêssego com Ginseng que diz “desfrute de momentos únicos de prazer”…PORRA! É UMA GARRAFA DE ÁGUA!

Sub-Lodo

quinta-feira, agosto 17, 2006

Considerações do Katano: você não faz ideia do que come nas tascas portuguesas



No outro dia confrontaram-me com a ideia de que os posts psicasténicos, apesar de variados, carecem sempre de fundamentação, sendo mais baseados em rumores e teorias do que factos propriamente ditos (perdoa-os, Anselmo, porque não sabem o que dizem...). Assim, decidi fazer pesquisa para este post. Tudo o que ler aqui resulta da análise a dezenas de livros de culinária manhosa, pseudo-entrevistas a donos de tascas (falei com um e basta) e relatórios de saúde alimentar (gentilmente furtados a estudantes de veterinária). Se é daqueles que acha que já viu tudo, que sabe tudo, e que nada pode ser aprendido neste blog, então este é o post para si.
Túbaros de porco? .... sabe o que são, cibernauta? É um prato cozinhado no norte que consiste em nada mais nada menos do que testiculos de porco com legumes à mistura. Tomates de porco!!!! Quem raio é que se lembra de cozinhar tomates de porco?! «Hey querida, hoje apetecia-me algo diferente. Podes ir arrancar os tomates ao porco para comer túbaros?». Que se mate o animal para fazer bifes e febras tudo bem, isso é digno. Agora, capar o bicho e comer-lhe os berlindes é cruel. E sopa de cérebro? já ouviu falar? É um prato muito apreciado na altura da matança do porco na Beira Interior, e é feito com.... adivinhe lá: cérebro de porco!!! Basicamente eles fazem uma canja com os miolos do bicho. Acha nojento? Então é porque ainda não provou língua de vitela. Não acredita? Vá a Santarém e entre na tasca da Ti joana. Peça o menu e bom apetite... De certeza que já provou sopa de cobra! Não?! É uma iguaria do interior. E não me façam falar de caracois.....
Se é daqueles crédulos que acha que nos restaurantes portugueses não se comem porcarias ficará chocado por descobrir que 89% dos restaurantes chineses estão em situação irregular devido à infracção de pelo menos uma regra da A.S.A.E. (Autoridade para a Segurança Alimentar e Economica). As más noticias para aqueles que pensavam ser os chinocas os únicos responsáveis são que a A.S.A.E., em apenas 5 meses, detectou em 273 estabelecimentos (portugueses) irregularidades que levaram à recolha de produtos no valor da 2,7 milhões de euros. É muito guito! O mesmo organismo estima que 3 em cada 5 cozinheiros de tascas só lavam as mãos quando saiem do trabalho. Partindo do principio de que o ser humano típico faz 3 pausas para mijar por dia... consegue imaginar o resto. Mas coragem, nem tudo são más noticias. Ok, cozinhamos com pouca higiene, mas somos excelentes cozinheiros e se tomar a devidas precauções pode comer à vontade em tascas.
Faça o que fizer não olhe para a cozinha!! Só se vai arrepender se o fizer. Peça apenas pratos em que possa identificar todos os ingredientes (eu sei, isto exclui a feijoada, a cabidela, o sarrabulho, o empadão, etc... mas é para o seu bem). Finja que é inspector sanitário. Desta forma cozinham-lhe os melhores pratos. Como é que finge? Fácil. Faça perguntas sobre as licenças, a ventilação, as datas do controlo de pestes, peça para ver o livro de reclamações, pergunte a origem dos produtos e estranhe a ausência de toca na cozinheira.
Com fome, caro cibernauta? Longe de o querer assustar, pense nisto como um alerta. A gastronomia portuguesa é boa, desde que não se saiba como é preparada. Acima de tudo espero ter-vos «aberto o apetite» para mais posts psicasténicos.

Abraço do Katano (que por esta altura deve estar a jantar)

sábado, agosto 12, 2006

S.O.S



O caso é grave. O Sr. Anselmo já está a caminho do médio oriente, a pé... para não levantar suspeitas... faz de conta que vai só comprar o jornal...
Depois de uma noite em claro e uma garrafa de whisky, decidi que estou em perigo e que o melhor é enviar esta mensagem secreta para que os maus não saiam impunes. Conto convosco...
Separava uma ou outra espinha, que mãos negligentes deixaram escapar no meu bacalhau à brás, quando uma sensação de alarme e mau estar se começou a apoderar de mim... olhei à minha volta, mas nada... tudo absolutamente normal... voltei a concentrar-me na separação das espinhas do bacalhau e a senção voltou mais forte... eu pensei, bichinho é um sinal... mudei-me para a útima mesa, a do cantinho, pus os óculos de sol (e como estava calor para a gabardina, optei pelo simples bigode) e pus-me a observar tudo atentamente, mas nada. Retiro o disfarce volto às espinhas e... de repente fez sentido, separar o trigo do joio, o bom do mau, e a imagem do marroquino veio-me à cabeça. Tudo começou encaixar, as noticias, o comportamento, tudo, tudo ,tudo!
Pedi um café e acendi um cigarro para comunicar com o Sr. Anselmo, através das bolas de fumo que nem consigo fazer...
E sim... Tudo encaixa... reparem...
De acordo com as informações do Sr. Anselmo, o Marroquino simpático lá do café veio para o nosso país mais coisa menos coisa há dez ou quinze anos... casou-se e fez a sua vida como qualquer outro, só que não vendia tapetes na rua nem frôr nos cafés... não... abriu um café (com que dinheiro?? e porquê aqui, nesta cidadezinha? Toda a gente sabe que para se vencer na vida é preciso sair daqui e não vir para aqui, eu inclusivé, até já tive velhotas simpáticas que me disseram isso mesmo no autocarro).
Mas não é um café qualquer, é um netcafé (mas não tem sitío na internet? porquê, porque a publicidade não é desejada, porque ele quer passar despercebido...).
E as horas a que ele abre o café... é conforme lhe apetece, uma pessoa nunca sabe... esta semana por exemplo, esteve fechado sem explicar nada a ninguém na quarta e na quinta...
A minha preocupação aumentava e nos resquícios daquilo que poderia ter sido uma bela bola de fumo vejo a informação fatal, a informção que faltava afinal o marroquino não é marroquino, é arábe... das arábias... das mil e uma noites e dos 40 ladrões e do ali bábá... Senti-me ultrajada.
Não sei que faça... tudo bate certo... ele é de certeza um deles... ainda não consegui abrir o site do FBI para ver os mais procurados, mas tudo, o disfarce (olha nós que anos e anos achamos que ele era marroquino!!), o café para comunicar com os camaradas à vontade, os timings... tudo bate certo... não pode deixar de ser...
Acho que vou comprar o jornal e vou lá beber um café naquela do "hem... então ainda não encontrarm os suspeitos todos...." para ver se ele deixa cair a bandeja com os cafés, a confirmação que falta. Desejem-me boa sorte! E ao Sr. Anselmo que foi à procura das pegadas que o trouxeram... Se eu não voltar a aparecer, vejam se descobrem esta mensagem secreta e tomem providências...

terça-feira, agosto 08, 2006

Epístola de Tigrão aos leitores


Caríssimos leitores e leitoras da nossa estimada Bloga,
Tenho assistido, sem me intrometer, às liças que ocorrem diariamente neste nosso espaço de confraternização e amor e onde muitos dos nossos leitores regulares se têm queixado dos longos tempos sem posts.
Do muito que li criei para mim uma imagem do visitante tipo deste nobre espaço: maioritariamente virgueiros com mais de 30 anos que moram com os pais e que o mais perto que estiveram de uma relação sexual foi um toque acidental no seio direito da prima Dulce (que está na Suiça e vem todos os anos por altura da festa da terra).
Este tipo de leitor vê na Psicasténica um meio de fantasiar: todos querem ser Anselmos, Tigrões, Bichinhos, Katanos e não falta mesmo quem queira ser Sub-Lodo! É nítido que esta nossa bloga é já uma Caras ou uma Flash da blogosfera...
Mas, meus caros, nem todos somos cyber-freaks-viciados-em-blogas-absurdas. Feliz ou infelizmente, há quem tenha vida além da Bloga. Em verdade vos digo, se é certo que o Katano ou o Sub-Lodo encontram neste espaço a coisa mais emocionante, radical e perigosa das suas vidas, já a Bichinho se vê constrangida pelos deveres e afazeres domésticos que limitam a existência de uma jovem casadoira e parideira.
Dado que o nosso estimado auditório tem estado perto de situações de hipertrofia-cerebral deixo uma sugestão cibernética alternativa: http://www.vivismovies.com/channel1.shtml . Sempre que a vossa vida começar a perder o sentido em virtude na inexistência de postas diárias vejam um filmezito com uma boa sodomia à mistura. Este site tem 8 canais, basta que na barra de endereços substituam o 1 por qualquer outro dígito até 8 e terão ao vosso dispôr 24h de pornografia sem custos.
Espero que esta dica contribua para a diminuição dos níveis de stress e agressividade manifestados nos últimos comentários. É verão, o sol brilha, os filhos e netos da diáspora regressam! Aproveitem! Agosto é o mês dos bailaricos, dos carros amarelos, das meninas que falam francês e felaceiam com brio atrás das igrejas!
Vão à praia, façam castelinhos na areia, espalhem protector nas costas da menina da barraca do lado, vivam a infância que nunca tiveram que quando o Verão acabar a bloga volta à força máxima!
Até lá, despeço-me com amizade e faço votos que a sugestão para os tempos mortos da bloga vos agrade!


PS: Para aqueles que nunca sairam de casa no Verão e passam os dias em frente ao computador deixo na imagem um exemplo das espécies que deambulam pelas nossas praias... Não há posta que supere estas febras!

terça-feira, julho 25, 2006

Foi na loja do Mestre André


Ele foi uma autêntica pasta medicinal Couto: andou nas bocas de Portugal! Nunca se falou tanto de um homem por causa do seu pífaro. Caros Psicasténicos, tenho a honra de lembrar o Mestre André. André de Orey e Sá de seu nome original, Dezinho para os amigos e Mestre para a generalidade das pessoas (devido ao Mestrado em Engenharia do Papel). Cedo sentiu o apelo da música e depois de ter sido enxovalhado em meia dúzia de conservatórios, abriu o seu negócio de pifarinhos e tamborzinhos…quem não se lembra do genérico: “Foi na loja do Mestre André etc…”. Fortemente ligado ao corporativismo do Estado Novo, sentiu as agruras da vida no período pós-25 de Abril. Nas suas doutas palavras, “a cambada de cães do Otelo deu-me cabo da vida”. Foi então que desapareceu da ordem do dia, ficando apenas (para trauma das crianças portuguesas o que de algum modo explica certos atrasos estruturais que o país atravessa) o genérico da sua loja. Porém, o negócio corria-lhe no sangue, bem como a heroína que vendia nas ruas corria no sangue dos seus clientes; sol de pouca dura: as autoridades avessas a estes impulsos capitalistas de enriquecer com o próprio negócio levaram o homem uns anitos para a pildra. Mestre André encontrou um mundo novo quando saiu passados 20 anos (para além do tráfico de estupefacientes viu-se a braços com o suposto homicídio da mulher e das filhas que alega terem escorregado depois deste encerar a casa e infortúnio dos infortúnios, terem caído precisamente 5 vezes no colo de Mestre André quando este segurava uma faca de trinchar). Voltou a sentir o apelo do negócio, todavia o comércio tradicional fora engolido pelas grandes superfícies. Lançou-se nas televendas com um espaço de venda de armas, mas, segundo o próprio “eu não tinha a ajuda das dobragens porque falava português, nem uma figura como o Goucha para dar pinta à coisa”. Fracassou depois de ser obrigado a vender o stock a preços de amigo ao PNR para pagar as dívidas. Felizmente, hoje é um homem feliz e é mesmo à porta da Escola Primária nº1 da Arrentela que Mestre André abriu a sua sex-shop. “Ora vejam lá que as pequrruchas já cantam: foi na loja do Mestre André que eu comprei um vibrador, hmm, hmm, hmm, um vibrador!”.
Sub-Lodo
P.S.: a Psicasténica não morreu. Esteve de férias.

sábado, julho 08, 2006

Considerações do Katano: sr. Anselmo e o coxo que falava por assobios



Mais mito que homem, mas ainda assim mais homem que muitos, o sr. Anselmo é uma figura que em poucos meses gozou de de uma subida ao estatuto de estrela. O homem que teve a ideia de criar relógios de pulso enquanto comia amendoins, que já sobreviveu forçando mendigos a plastificarem documentos por um euro para saciar o seu vício de karting e que mora numa residência grátis (pelo menos enquanto durarem as visitas nocturnas à gorda senhoria), decidiu contar mais um pouco da sua vida. Assim, caro leitor, está perante uma história que não figura na sua biografia (publicada vários posts atrás).
Segundo o sr. Anselmo, esta história sucedeu à vários anos atrás, mas propriamente quando ainda era seguro andar à noite em Lisboa (portanto à mesmo muitos anos...). Figura estimada pelo inexplicável aumento de natalidade nas terras que percorria, o jovem sr.Anselmo decide estabilizar a sua vida (durante uma semana) e toma como lar uma bonita aldeia constituida por pouco mais de três casebres, um palheiro e uma casa de alterne. Eram tempos duros... Ninguém dava nada a ninguém. A vaca da aldeia só dava leite por tabaco de mascar (vício que contraiu na ultima feira de bovinos de Moscavide), as pessoas cobravam 5 centavos para dizerem «olá» e o café era feito de.......... (o sr. Anselmo começou a chorar neste momento e disse-me para esquecer o café).
Foi neste contexto que o sr. Anselmo conheceu a paixoneta do mês: Clotilde, parteira sem formação e dançarina exótica na casa de alterne da aldeia. Contudo este amor estava fadado ao falhanço dado que a inexistência de outras strippers na aldeia forçava clotilde a fazer turnos de 22 horas na boate (tinha de se despir muito devagar) o que lhe dava pouco tempo para estar com o seu fiel apaixonado (caso este não estivesse com outra, claro). Contudo, e porque perdeu uma aposta a jogar às cartas, o sr. Anselmo decide pedir Clotilde em casamento no fim do turno. Não queria perder muito tempo porque para a semana tinha de se apresentar na GNR de Sacavém por excesso de velocidade ao volante de um carro de bois. Quando estava prestes a entrar na casa de alterne, o jovem sr. Anselmo ouve um assobio. Quando se vira depara-se com um homem como uma deformidade horrível................. ele falava por assobios!!! Ah, e era coxo. O homem soltou um assobio longo e subitamente, o sr. Anselmo vê-se rodeado por 23 moçambicanos e meio! As coisas não estavam fáceis, e por isso o nosso herói procura por algo que o possa ajudar. Encontra a resposta no bolso das calças............ um palito (afiado só de um lado e usado do outro).

(CONTINUA....)

Como conseguirá o sr.Anselmo sair desta com um palito afiado só de um lado? Quem é o misterioso coxo que fala por assobios e contratou 23 moçambicanos e meio para o atacarem? Terá alguma ligação a Clotilde, parteira e stripper com turnos de 22 horas? E qual será o prato do dia na Tasca do Manecas? Para saber a resposta a isto não perca as próximas.............. Considerações do Katano: sr. Anselmo e o homem que se babava pelo nariz.

quarta-feira, junho 28, 2006

Nossa Senhora do Caravaggio responde online


A Psicasténica não poderia de modo algum ficar alheia à euforia do Mundial da Alemanha e vem neste post possibilitar os nossos leitores (fiéis e infiéis) de entrar em contacto com a nossa melhor aquisição para a competição (leu bem, aquisição e não convocação): a Nossa Senhora do Caravaggio de que o Felipão é devoto. Se prestaram atenção à nossa heróica exibição contra a Holanda, viram que nunca estivemos em inferioridade numérica…Nossa Senhora do Caravaggio jogou e ajudou…e de que maneira! Na secção dos comentários apenas tem que formular uma questão a Nossa Senhora e ela responderá assim que puder (temos uma relação privilegiada com Ela como a Linda Reis e o Professor Alexandrino têm com o Herman SIC, os Xutos & Pontapés com a Queima das Fitas e o mau gosto e bichanice com Manuel Luís Goucha). Contamos com a vossa participação.







P.S.: last but not the least, os resultados dos passatempos Psicasténica e o cumprimento da promessa “não ganhe fabulosos prémios”:

Prémio ANALFABETISMO- Joaninha (não soube simplesmente LER que o primeiro post da Psicasténica se chama ECCE BLOGA…)

Prémio DROGAS QUÍMICAS- Mariana Pereira da Costa (é ler as respostas dela…)

Prémio EU NÃO MEREÇO VIVER- Mosqueteira 27 (bem…não saber que LA BIBLIOTECA ESTA ALLÁ…minha amiga…)

Prémio EU ESTIVE LÁ- Tubarão (porque foi o único a acertar a resposta à questão 8…só podia lá ter estado…)

Prémio DESMANCHA PRAZERES- Tigrão (porque a resposta à questão 4 revelou demais)

Prémio EU AMO O SUB-LODO- F.O.D.A.S. (tinha mesmo que ser…é ler…)

Prémio PUS A DIGNIDADE DO KATANO EM CAUSA- Bichinho (pode ser verdade, mas a resposta 10 devia ficar entre nós…agora toda a gente sabe)

O prazo de impugnação e reclamações restantes termina dentro de 5 segundos após a publicação…já está…acabou.
Sub-Lodo

sexta-feira, junho 23, 2006

Considerações do Katano: porno hardcore vegetal xxx



Para quem não sabe, os primeiros lugares nos rankings de blogs portugueses são ocupados por blogs pornográficos que oferecem a oportunidade do cibernauta ver fotos das suas actrizes porno favoritas no seu dia-a-dia (sandy styles a «fazer aquilo que toda a gente sabe» numa barbearia, tera patricks a «enroscar-se» num corredor apertado de um bar manhoso, etc...). Ora, e com a constante ambição de fazer esta bloga subir uns escalões nos rankings portugueses, decidi escrever sobre algo que envolva a utilização de expressões comuns nos motores de busca de putos do secundário (como «mamas», «milf», «fuck» e «teens»). Sexo é um tema infinito. Já se escreveram livros sobre ele, já se fizeram filmes, e até há quem admita tê-lo feito (apesar de desmentir na presença dos amigos). E mesmo assim continua a haver tanto para se dizer sobre isso. Enquanto somos putos acreditamos que andam por aí top-models bisexuais «que o fazem» com quem quer que seja e onde quer que seja. Mas ao crescermos já olhamos para o porno como ficção cientifica. Vá lá.... 3 amigas «teens» top-models decidem fazer a sua primeira experiência lésbica e chamam 3 amigos para verem e mais tarde participarem num swing monumental?!? Acorde! Isso é ficção ao nível do «Starwars»!! Claro que é excelente acreditar que é verdade e daí o sucesso do porno (e a necessidade de escrever posts sobre sexo). Mas ao mesmo tempo queria escrever sobre algo diferente e que não justificasse que os mesmos putos fossem repreendidos pelos pais por verem blogs pornográficos. Nasceu assim o porno vegetal! São pequenas histórias eróticas com metáforas vegetais que não ferem susceptibilidades de maricas púdicos como são os jovens hoje em dia. Parabéns! Você está a ler a primeira história porno apropriada para menores:

Era um dia frio na zona das frutas do supermercado de Condeixa. As cerejas tinham decidido dar uma festa e convidaram os alperces. Quando os alperces chegaram ao caixote das cerejas, não tardou a começar a festa. Os alperces, que tinham andado a fumar uns adubos marados, abusaram das cerejas e enfiaram-lhes até ao caroço. Ouvindo o som daquele alegre fandango, os ananáses decidem entrar na festa gang-bang dos alperces e entram a rasgar nas cerejas que ainda nem estavam maduras. As tangerinas, a fruta mais ordinária que existe, não quer perder a oportunidade de serem «comidas» pelos ananáses e entram na salada de frutas! Por esta altura, era sumo e aparas de fruta por todo o lado. E viveram felizes para sempre (excepto a cereja Teresa que deu à luz uma bela cerejeira porque o morango não usou pesticida)!


E aí está pornografia apropriada para menores. Se no meio disto tudo o leitor ficou estranhamente excitado então eu recomendo aconselhamento médico e terapia que envolva privação de sexo. Se não compreendeu as metáforas vegetais, sugiro que peça ajuda na tradução áquela sua amiga jeitosa e de orientação sexual duvidosa. Agora se ficou confuso a partir do momento em que leu a palavra SEXO... meu amigo, não o posso ajudar. Mas há sítios adequados para curar a sua condição (e baratos também!). Na proxima Consideração do Katano vou dar-vos uma dicas sobre como engatar e assediar mulheres sem parecer um pervertido ou engatatão. Agora se o assunto for engatar homens então recomendo falarem com o Sub-Lodo.


P.S.-Beijos para a cleptomaníaca de museus!

sábado, junho 17, 2006

Código D' Anselmo

Vivemos num tempo em que por vezes é difícil distinguir a verdade da mentira, a ilusão da realidade e uma boa dose de cocaína de uma qualquer mistura à base de farelo e Lauroderme!
Felizmente, hoje é o dia em que mais uma falsidade vem à superfície! A Bloga mais estranha, doentia e perturbada da blogosfera apresenta-vos uma obra literária com suspense, romance e aventura: o Código D’ Anselmo!


CAPITULO 1: Suspense

Anselmo, reputado lente da reputada cadeira de "Fermentação de Lacticínios" na não menos reputada Universidade Bi Saia Barreto, encontrava-se numa acção de controlo de qualidade de leite (aferindo o seu grau de fermentação nos seios de jovens libidinosas) quando recebeu uma chamada de Souto Moura que lhe solicitava um encontro urgente. O PGR não adiantou mais nada dado que o processo se encontrava ainda em segredo de justiça e qualquer fuga de informação, para além de atípica, poderia comprometer o andamento do processo e a irrepreensível imagem da Procuradoria. Dada a urgência marcaram encontro para dali a 15 dias na Pastelaria Zezinha com a promessa de que até lá Anselmo seria posto ao corrente de tudo. Com efeito, assim aconteceu.
Alvorava o dia quando, por volta das 15h, um Anselmo ainda remelento se dirigiu ao tasco da Alzira para o seu tradicional pequeno-almoço: um pacote de Ruffles Onduladas e um Sumol de ananás acompanhado de uma leitura breve do 24 Horas. Anselmo ia folhear instintivamente até à secção das "Belas e Perigosas" mas o seu olhar deteve-se na primeira página... "24 Horas divulga conteúdo do misterioso envelope 734". A promessa cumpria-se: o PGR fizera a informação chegar a Anselmo da forma mais insuspeita e eficaz. Era agora necessário folhear até às páginas centrais para perceber ao certo do que se tratava. Anselmo sentiu um calor subir-lhe pela espinha. Era um misto de ansiedade pueril com o calor típico da flatulência que fora incapaz de conter e que em breve aromatizaria todo o balcão da Alzira. Anselmo era um mestre. Apesar de se tratar de uma libertação de gases involuntária, garantiu ao nosso herói a privacidade necessária para encarar o conteúdo do envelope 734. Ao chegar à página indicada Anselmo percebeu que não se tratava de um envelope como tantos outros já divulgados anteriormente. Aquele envelope era absolutamente vago e inconclusivo sem quaisquer nomes de figuras públicas ou indícios de escândalo. Anselmo percebeu a gravidade da situação e dado que já só faltavam 14 dias para o seu encontro com Souto Moura, e possivelmente para o fim de Portugal como o conhecia, resolveu cumprir um sonho de criança e inscreveu-se no torneio de dominó do Jardim da Estrela. Do resultado deste torneio nada se soube. Se o leitor tiver alguma informação será bem-vinda.


CAPITULO 2: Romance

No dia combinado Anselmo dirigiu-se à Pastelaria Zezinha onde Souto Moura já o aguardava. Ao entrar, Anselmo percebeu imediatamente que também o PGR se lembrara de usar um disfarce. Anselmo disfarçara-se de drag queen (um disfarce digno de um mestre pela sua simplicidade e discrição), Souto Moura usava uns óculos de marrão e um bigode idiota. Anselmo não pôde deixar de admirar a genialidade daquele homem!
Anselmo sentou-se junto do PGR e retirou cuidadosamente as plumas rosa-choque que tinha na cabeça. Percebendo a confusão do Procurador piscou lentamente um dos seus olhos cuja sensualidade se encontrava reforçada pelas longas pestanas falsas e esclareceu “sou eu, o Anselmo”. Infelizmente avisara tarde demais… Souto Moura não conseguira, naqueles longos 7 segundos de fantasia, conter uma agradável ejaculação precoce. Habilmente despejou o galão nas calças para disfarçar o tiro em falso num gesto revelador de uma prática invejável. Até era melhor assim, pensou. Já tivera o seu momento de prazer, podia agora dedicar-se ao trabalho...


CAPITULO 3: Aventura

Souto Moura foi directo ao assunto: O envelope referia-se ao mais terrível Segredo de Estado: "que leite bebem os nossos governantes". No Envelope 734 estavam os nomes de todos os 2.475.361 membros dos XVII Governos do pós 25 de Abril e o leite que bebiam! Como era facilmente perceptível o conteúdo deste envelope podia abalar toda a estrutura do Estado Português e a confiança invejável que o povo nele depositava. Caso o conteúdo do envelope fosse revelado as consequências seriam trágicas pois os restantes 7.524.639 portugueses poderiam aspirar a ser governantes… bastaria que bebessem o leite certo!
Tudo começava a fazer sentido na cabeça de Anselmo. Era necessário ocultar a teta leiteira do Estado e ele, o maior perito em lacticínios de todo o país, que tratava por tu os cinco maiores leiteiros da Europa, teria que reformular o código posto em causa com a publicação do artigo. Teria que criar o Código D’ Anselmo!

O Procurador colocou todos os dados à disposição de Anselmo. Era simples: todos haviam mamado pela mesma teta leiteira, apenas um dos governantes tomara um leite diferente… Paulo Portas.
Paulo Portas representava o Sagrado Masculino. O leite que Portas bebera era diferente, não era leite de teta, era leite de tola um leite masculino rico em proteínas.
O desafio de Anselmo seria codificar a mensagem de forma a proteger o segredo nas suas duas vertentes. A teta de todos, ainda hoje adorada, e a tola que alimentara Portas. Iria Anselmo conseguir? Obviamente que sim… Recorrendo à sua lendária habilidade artística Anselmo criou uma imagem que ficará para a posteridade: a "Mona Lisa e a Teta de Todos"…


Como se pode ver Anselmo recorreu à explicitude pictórica - como Da Vinci fez na “Última Ceia” ao pintar Maria Madalena ao lado de Jesus - desnudando a Teta de Todos, na qual colocou uma estrela simbolizando a sua origem feminina. A referência ao leite bebido por Portas vem no nome da obra… “Mona Lisa”, que em português significa “Cabeça Careca”. Portas bebia o leite da cabeça careca! Simplesmente genial…

Souto Moura podia agora queimar o envelope divulgado e ter o segredo na parede do seu escritório sem que ninguém disso se apercebesse. Tudo isto graças à genialidade de um só homem: Anselmo…


terça-feira, junho 06, 2006

O SEGREDO É A ALMA DO NEGÓCIO

O silêncio vale mais que milhões de palavras, largadas como misseís descontrolados.

Quem frequente habitualmente a blogosfera sabe como o ambiente é tenso por baixo do verniz da estupidez e da mania da imbecilidade. Aliás, basta atentar no anterior poste (sim, porque aqui se escreve bom português...) e nos comentários tecidos por alguns dos mais conhecidos Bloggers da bloggistica actual, para perceber como a inveja, o ódio e o compadrio dominam as instituições, mesmo as mais sérias e credíveis como é esta Bloga.
Mas claro, que quem para aqui vem já sabe ao que vai e por isso, nuns dias ganha-se, nos outros faz-se batota e ganha-se outra vez!!
E quanto mais bem sucedida é uma pessoa, mais os outrora companheiros de luta, que tantas vezes se rebelaram para defender as parvoices comuns, dão facadinhas nas costas enquanto tentam, em vão, quanta impotência, assassinar o irmão... o que só prova a falta da imbecilidade que se arrogam... imbecil que é imbecil não se preocupa em ser mais imbecil que os outros, vive feliz na sua imbecilidade... agora quando se começam a bater e a abater para chegar ao pódio não revelam imbecilidade nem estupidez, mas sensatez e racíocinio... e esses sim deviam ser banidos...
Mas a Bichinho não está para essas coisas sérias quase-políticas-e-futebolísticas e vem aqui com todo o jogar justo dizer que não está morta e que há-de ter 800, digo 80 anos e continuar a escrever na Bloga e trazer coisas surspreendentemente absurdas e sem nexo que nos fazem sentir bem poqrue há alguém mais sério e ponderado que nós...
Uma palavra de apreço para todos os que aderiram ao movimento lançado pelo Sub-lodo, desta vez sem sigla, e para todos os outros que intimamente reconhecem que mourinho não é para todos e se odeiam por causa disso!! AMO-VOS MUITO.

quarta-feira, maio 31, 2006

BICHINHO PUBLICA!


Venho por este meio, ao arrepio de todas as regras da PSICASTÉNICA dar voz à minha vontade (Sub-Lodo), que é a vontade partilhada pelo Tigrão, pelo Katano, pelo Senhor Anselmo e espero que por todos vós, participantes activos, inactivos, passivos, ocasionais, estreantes, carecas, estudantes de arquitectura paisagística, enfermos de seborreia e o meu vizinho de baixo: queremos que a Bichinho publique! Não se concebe que uma fundadora e membro de pleno direito da PSICASTÉNICA, goze do infundado privilégio de não publicar uma série de posts devidos sob o pretexto de não ter inspiração ou coisa que o valha! Onde é que acham que estava a minha inspiração quando escrevi "Sol da Caparica" e "A Cavalo dado enche a Galinha o Papo"? A nossa luta não é nada sem a vossa voz, por isso exorto-vos a, numa manifestação conjunta, incentivarem da melhor maneira a nossa co-blogger a postar, a dar sinais de vida a bem da nossa/vossa bloga. Não deixem morrer a PSICASTÉNICA! Vamos protestar contra esta situação!
Sub-Lodo

segunda-feira, maio 22, 2006

Não ganhe fantásticos prémios


Não vestimos a pele de Carlos Cruz, porque não somos pedófilos; não vestimos a pele de Fialho Gouveia, porque nesta altura já foi bem digerida pelos vermes do subsolo, não vestimos a pele de Eládio Clímaco, porque está encarquilhada. Como não queríamos chatear o Jorge Gabriel, decidimos não vestir a pele de ninguém e lançamos a primeira (e quiçá última edição) dos passatempos Psicasténica por nós próprios. Não “anda à roda”, não é “fácil, barato e dá milhões”, nem “fabrica excêntricos”…mas quem quer dinheiro quando se pode ter o reconhecimento expresso na melhor bloga do mundo? Toda a gente, claro…ainda assim, esperamos uma participação massiva seguida de uma massiva entrega de prémios num próximo post. Só tem que responder às questões que se seguem DEVIDAMENTE JUSTIFICADAS.

1-Como se chama o primeiro post da Psicasténica?
a) Manifesto de Demência
b) O Diogo Infante é Rabo
c) Ecce Bloga

2-Donde esta la biblioteca?
a) La biblioteca esta allá
b) La biblioteca esta en Maria
c) La biblioteca esta en el espacio

3-Qual o percurso habitual da Ratazana King Kong?
a) Restauradores – Baixa
b) Sete Rios – Cidade Universitária
c) Pintos – Ti Arminda

4-Quem é o Sr. Anselmo?
a) José Mourinho
b) O Santo Graal
c) Aquele senhor que veste de escuro e toma café Sábados à tarde n’A Brasileira

5-Como se chama o irmão do Sr. Anselmo?
a) Katano
b) Jonas
c) Aníbal Cavaco Silva

6-Qual é o lema da Psicasténica?
a) Sim
b) Não
c) Não sabe/não responde

7-Porque não tem talo o nabo?
a) 6%...ora 6%...é fazer as contas
b) Por causa do choque tecnológico
c) Porque o Scolari não o convocou

8-O que diz o Tigrão quando encontra o Sub-Lodo?
a) a) e c) estão correctas
b) Todas as anteriores
c) Nenhuma das anteriores

9-Qual é a bebida oficial da Psicasténica?
a) James Martin’s 20 anos
b) Aguarrás
c) Formol

10-O que é que o Sr. Anselmo me está a dizer neste momento?
a) Reparei que as drogas me prejudicavam os estudos, deixei de estudar.
b) Reparei que a droga me derrubava, passei a drogar-me sentado
c) Fui eu que escrevi “A Insustentável Leveza do Ser”

A maioria das perguntas tem várias respostas possíveis desde que devidamente justificadas, por isso JUSTIFIQUE AS RESPOSTAS (o que vai ser levado em conta para atribuição dos vários prémios). Um abraço do

SUB-LODO

terça-feira, maio 16, 2006

Considerações do Katano: tretas que me irritam no dia-a-dia


Entre outras coisas, o senhor Anselmo é terapeuta de raiva. Numa das suas sessões, sugeriu-me que não reprimisse a minha raiva acumulada pelo stress e tretas do dia-a-dia dado que não seria saudável. E qual a melhor forma de exteriorizar? Violência visceral ou falar sobre isso. Na falta de panascas abananados para descarregar agressividade vi-me forçado a ter de vir para aqui despejar estes sentimentos violentos. Ora cá vai:

Odeio o fanhoso do homem da cantina que insiste em colocar-me salada no prato mesmo quando eu lhe digo que não a quero. Não há nada pior do que alguém que tem a mania que sabe o que é melhor para nós. Até pode saber, mas eu tenho direito a não querer comer salada!! Quem é que ele pensa que é? Um nutricionista? Um ditador alimentar? A minha mãe???...

Odeio quando estão a dar grandes filmes na TV..... ao mesmo tempo e em canais diferentes!!!! Mete nojo! É impossivel resistir à tentação de mudar de canal de 15 em 15 segundos (perdendo consequentemente o fio à meada de qualquer um deles). E não me façam falar da codificação da Playboy TV.... Deviam codificar era a RTP Africa ou a Baby TV.

Odeio aqueles tansos que se riem das piadas dos outros sem as compreender. Acham que ninguém nota??? Toda a gente sabe! São os que se riem de forma mais escandalosa e os ultimos a parar de rir (porque se distraiem a tentar perceber a graça).

Odeio o facto das melhores miudas só andarem com idiotas. Está cientificamente comprovado! Tem uma namorada gira? Parabéns, caro amigo! Você é muito provavelmente um idiota chapado. Vá, não se finja insultado. Tem o prémio de consolação: a miuda gira!

Odeio a Florbela! Não tenho nenhum argumento em especial, simplesmente odeio-a....

Odeio o cromo que sempre que há confusão se mete no meio da malta a dizer «tenham calma!»! Calma? Ele não saberá que essa palavra faz a malta ficar ainda mais doida?? «Calma» é o ecstasy das palavras: irrita, não acalma!

Odeio quem não perceba mesmo quando lhes explicamos as cenas devagar e com desenhos. Milhares de anos a evoluir, a abandonar a capacidade cognitiva dos primatas e apanhamos com um panasca que não percebe porque razão fica com zero quando tinha duas maças e lhe tiram duas maças.

Apesar da existência de uma panóplia de «tretas do dia-a-dia que me irritam» que se extende daqui até Algés, é melhor guardar as restantes para a proxima sessão de terapia de raiva com senhor Anselmo ou até arranjar problemas na discoteca mais proxima. Caros amigos, aproveitem este espaço para exteriorizar a vossa raiva reprimida e partilhem com as pessoas deste blog as «tretas que vos irritam no dia-a-dia» (ou não digam, a ver se eu me importo...) Vejam a foto do senhor Anselmo que foi muito bem tirada...

Um abraço agressivo do Katano

quarta-feira, maio 10, 2006

Guia Urbano de Sobrevivência Feminina

Estimadas leitoras, dadas as vossas inúmeras solicitações no último post do nosso muy estimado Katano, eis que a Psicasténica vos oferece um magnífico e sempre útil Guia Urbano de Sobrevivência Feminina. Para a realização deste Guia a nossa (e já vossa) bloga contou com o know-how da Esposa do Senhor Anselmo. Tratou-se de uma colaboração fundamental mas ligeiramente dificultada pelo facto de se encontrar internada na ala de politraumatizados dos HUC. A esposa do Senhor Anselmo deu entrada no Hospital no domingo passado depois de ter sofrido um acidente que envolveu um taco de basebol, um jarrão da loja dos 300, o cinto do Senhor Anselmo e diversas portas da casa. Segundo informações da vizinhança o acidente terá ocorrido poucos segundos depois do apito final do encontro Paços de Ferreira - Benfica. Ainda assim, e apesar de se encontrar inconsciente, foi-nos possível comunicar com ela através de uma técnica de palpação do pulso desenvolvida pelo Senhor Anselmo - que tem sido o seu interprete durante os períodos de inconsciência, quer para falar com as autoridades policiais, quer para partilhar a sua experiência de vida com a Psicasténica.

Assim, sem mais demoras, directamente dos HUC, deixamo-vos com o Guia Urbano de Sobrevivência Feminina:

1ª Lição - O seu homem tem outra. O que fazer?
Em primeiro lugar tem que perceber que a culpa é sua. Provavelmente não satisfaz o seu macho convenientemente ou tem descurado a sua aparência ou peso. Mas não tema! Temos a solução: incentive a relação extraconjugal do seu marido e ofereça os seus préstimos. É importante que não perca o seu lugar na vida dele. Seja como parceira sexual ou como a mulher que lava a roupa e a loiça o que interessa é que possa de alguma forma contribuir para o fazer feliz.
2ª Lição - Quer sair mas não sabe o que vestir.
Não saia. As ruas são perigosas e estão pejadas de pessoas com más intenções. Além disso há inúmeras telenovelas que lhe garantem divertidos serões em casa. Moças de bem não andam por aí que nem umas quaisquer. Resguarde a sua castidade, mantenha-se por casa!
3ª Lição - Como gastar menos em compras?
Como é sabido a mulher é atormentada por um vírus maléfico que a impele a torrar pequenas fortunas em compras. Contudo, mesmo este vírus se sujeita à máxima "as mulheres só gastam dinheiro em compras porque o têm". A solução é, por isso, simples: dê o seu dinheiro todo a uma instituição de solidariedade social (sugiro o SLB)! Em seguida aperfeiçoe os seus dotes agrícolas e têxteis criando um pequeno mundo de auto-subsistência. Se este caminho lhe parecer difícil arranje um marido que a sustente e tenha mão em si.
4ª Lição - Como perder peso?
Há diversas formas de perder peso e todas elas bastante saudáveis, divertidas e com agradáveis reflexos na economia familiar. Deixe de usar electrodomésticos. Consomem energia e contribuem para o seu laxismo. Lave a loiça e a roupa à mão; substitua o seu ferro de passar por um clássico a brasas; varra e esfregue o chão em vez de aspirar. Vai ver que perde peso com facilidade e sobretudo com utilidade!
5ª Lição - O que fazer com as meias puídas?
Como é sabido esta é a questão que há mais anos atormenta o universo feminino. Infelizmente, no preciso momento em que se preparava para responder a esta questão a esposa do Senhor Anselmo ficou sem pulso... Numa tentativa desesperada de salvar a sua amada o Senhor Anselmo ainda levou a cabo uma reanimação através dos maxilares, contudo, nada mais havia a fazer... Fica a questão: o que fazer com as meias puídas?

P.S.: Dado o trágico falecimento da sua esposa que conduziu a um avolumar do cotão pela casa - e alguns dos seus filhos a um estado de subnutrição profundo - o Senhor Anselmo solicitou-nos a publicação do seguinte anúncio:

Empresário de sucesso, jornalista, actor, cantor, fotógrafo, artista plástico e metálico com ligações às mais altas esferas mundiais de qualquer espécie de actividade pretende conhecer Senhora com os seguintes requisitos:
-idade entre os 20 e os 39 anos;
-anca larga e parideira;
-peito robusto e bundinha gostosa;
-dotada nas lides domésticas;
-boa situação financeira (pelo menos suficiente para o sustentar).
Fim sério! Resposta para esta Bloga.

Todas as candidatas serão sujeitas a um rigoroso exame oral.

sexta-feira, maio 05, 2006

Borga no Vaticano


A S.A.R.N.A. (Senhor Anselmo Revolution News Agency) acaba de, em nota de última hora, confirmar aquilo que já todos (à excepção de milhões de pessoas) suspeitávamos há muito tempo: existem fortes lobbies de pressão com a missão de fazer com que o próximo fumo branco que saia da chaminé do Vaticano não seja o barbecue da Páscoa ou Bento XVI a fumar o seu cacete às escondidas, mas sim o anúncio de que o Padre Borga é Papa! Habemus Papa, gritarão uns… Habemus Borga exultarão outros…
A imagem do Padre Borga criou tal consenso entre sectores à partida conflituantes que a aposta é mesmo para levar até ao fim! Uma imagem de padreco-cantor-bem-disposto-animador-da-Praça-da-Alegria-tolerante-bonacheirão-põe-tua-mão-na-mão-do-meu-Senhor veio mesmo a calhar: o Ministro da Economia e da Inovação, Manuel Pinho, tem uma fé profunda em que, após a entrada de Borga no Vaticano, o espaço envolvente venha a sofrer alterações de modo a que a Praça de S. Pedro se venha a tornar a Feira de S. Pedro (todas as 4ªs Feiras…) e, desse modo, equilibrar a balança comercial comercializando em massa produtos 100% produção nacional. Já a comunidade gay (normalmente de candeias às avessas com a Igreja), vê neste liberal uma oportunidade de rumar à aceitação, propondo mesmo um nome para o Papa: Mabilha I. No sector das artes, todos os músicos regozijam em ter um colega seu em tão alto cargo e as peregrinações vão dar lugar ao Hóstia Metal Fest a realizar todos os santos anos. Inclusivamente os grupos corais e sinfónicos das eucaristias poderão vir a ser substituídos por uma onda “revival” que dará novo brilho a glórias nubladas como Green Windows ou Quarteto 1111, As Doce ou Heróis do Mar.
Quanto ao nome a escolher por Padre Borga muito se especula: a acrescentar à proposta da comunidade gay, temos o sector alimentício que pressiona com Papa Cerelac I (facção rebelde) ou Nestum I (os mais eruditos); Gilberto Madaíl alega que, sendo Portugal o país do Fado, Futebol e Fátima e que Papa Amália fica mal e que Fátima vai deixar de ser importante, oscila entre Papa Figo I e Papa Ronaldo I, sendo que Eusébio não se enquadra no perfil de Borga, uma vez que, pese embora o seu leque de truques e fintas, não surge em público com uma toalha enrolada ao punho…
Instado a pronunciar-se o Padre Borga referiu à Psicasténica “Kumbayá Senhor, Kumbayáááááááááááááááááá´!”.

SUB-LODO

segunda-feira, maio 01, 2006

Considerações do Katano: Guia urbano de sobrevivência masculina


Amigos, é um mundo de cão lá fora! Sobreviver não é tarefa fácil para quem não sabe meia-dúzia de truques. Não, não estou a falar de lutar contra feras na selva ou derrotar um punhado de terroristas num comboio em movimento com destino a Castelo Branco. Pior! Tou a falar de como sobreviver nesse perigoso território que é a área urbana. Acha que tá preparado para a luta? Ledo engano, meu caro. E uma breve leitura por este guia vai provar que estava errado (você, claro).

1ºLição - Você gosta de uma rapariga que tem namorado
Nada mais simples! Diga áquele seu amigo halterofilista e lutador de wrestling nos tempos livres que o namorado da miuda anda a fazer olhinhos à namorada dele. Para um resultado verdadeiramente eficaz (entenda-se violentamente e anatomicamente desconcertante) diga-lhe que o desgraçado anda a fazer olhinhos a ele. Bam! O namorado da rapariga passou à história deixando-lhe campo livre para fazer a sua magia

2ºLição - A polícia apanhou-o em pleno acto criminoso
Esta juventude está perdida.... mas não desespere! A solução é simples, quando lhe tiverem a colocar as algemas diga que quer falar com o seu advogado e acrescente que é o seu pai. Garantido que o soltam na hora. Para crimes mais graves talvez seja melhor referir que o seu pai é o Procurador-Geral da República. O seguro morreu de velho e nunca ninguém soube quantos filhos ao certo tem o Procurador-Geral da República.

3ºLição - Como arruinar o dia a alguém
Quer dar cabo do dia daquele fanhoso que está sempre a contraria-lo? Simplesmente passe por casa dele (não precisa entrar) e feche-lhe o contador da água que regra geral está no jardim ou entrada do prédio. Das duas uma: ou ele se atrasa enquanto tenta perceber porque raio falhou a água (o individuo médio demora entre duas a cinco horas para perceber se é o contador da água ou cortes por falta de pagamento), ou não toma banho por pensar que é corte de água e anda sujo o dia inteiro.

4ºLição - Quer ser romântico mas está sem guito
Você quer impressionar a sua (?futura?) miuda mas está sem «el contado» para pagar um jantar à luz de velas e um monte rosas. Situação facilmente
resolvida. Basta tirar 5 minutos para apanhar flores dos canteiros da câmara municipal ou da junta de freguesia e formar um boquê silvestre! Muito mais económico e exótico do que as já gastas rosas. Afinal de contas, para que é que os funcionários da câmara as plantam? Não me venham com essa do embelezar o munícipio. Pode ainda fazer como o Tigrão e ir buscar as flores ao cemitério! Não só tem arranjos bonitos como muitos deles têm dedicatórias de amor eterno (já viu que sorte!!!).

5ºLição - Como comer de graça nos melhores restaurantes
Crescem teias de aranha em sua casa? Se sim, metade do seu trabalho já está facilitado porque assim pode simplesmente apanhar moscas mortas pelas aranhas (caso contrário pode divertir-se com toda a familia a apanha-las). Feita a recolha, vá descansado ao restaurante que quiser e coma como se o mundo dependesse de uma indegestão sua. Quase no fim da refeição polvilhe (sempre gostei desta palavra) a comida com algumas moscas e chame o empregado. Arme um escandâlo e diga-lhe (isto é fundamental!!!!) que vai ligar à sua irmã que é inspectora sanitária. Ora como toda a boa cozinha não é feita sem pecado, o restaurante vai delicadamente pedir-lhe desculpa e iliba-lo do pagamento de qualquer comida.... contaminada!

Como vê, amigo cibernauta, aquilo que julgava saber sobre a vida urbana era insuficiente para garantir uma vida confortável. Agora está preparado para ir à luta! Vá, e faça-me orgulhoso!

P.S.- Tenho a infelicidade de não poder contar com um suporte visual por parte do senhor Anselmo, dado que é Dia do Trabalhador e ele tirou o dia para beber cerveja numa tasca manhosa. Assim, tive de me desenrascar com uma foto do Sub-Lodo num dia mau para colorir o texto.

quarta-feira, abril 26, 2006

Psicómetro do Tigrão

Estimados leitores psicasténicos, trago-vos esta semana, em estreia absoluta, o Psicómetro do Tigrão. Para os menos esclarecidos que se estão a perguntar "como nascem os bebés" nada tenho a dizer. Para os restantes ignorantes que se interrogam sobre "o que é um psicómetro", esclareço: é um instrumento utilizado para medir a quantidade de vapor de água na atmosfera. Posto este pequeno momento, que faz da Psicasténica uma das blogas mais informativas em matéria de meteorologia, passo a apresentar o dito psicómetro.

A descer: 25 de Abril
Se o estimado leitor é daqueles que acredita que o 25 de Abril de 1974 é obra do MFA, desengane-se! É hora de pôr tudo em pratos limpos!
Como é do conhecimento dos psicasténicos mais fiéis (os restantes podem consultar
aqui), o Senhor Anselmo andou por terras de Angola no início da década de 70. Neste período o nosso colaborador fez inúmeros amigos nas fileiras das forças armadas pois transformava CU's (Combatentes do Ultramar) em MAUS (MAquinas cheirosas destruidoras de independentistas UltramarinoS). Este feito, associado ao facto de ser um dos maiores proxenetas da zona, valeu-lhe um enorme prestígio entre os militares que se prontificaram a ajudar o Sr. Anselmo "nem que fosse preciso lixar o Caetano". O tempo passou e, movido pelo seu reconhecido empreendorismo, o Senhor Anselmo investiu tudo o que tinha (e muito do que não tinha) na compra de uma floricultura que especializou na produção de cravos. Segundo sabemos, o Sr. Anselmo descobrira em Angola uma receita à base de cravos que continha a cura para "o herpes genital, a gonorreia, a sífilis e qualquer DST que pudesse surgir e afectar o sistema imunitário". Infelizmente, a dita receita apenas provou possuir um poderoso efeito laxante o que deitou o negócio pela sanita abaixo, literalmente... Pressentindo a ruína contactou o seu amigo Otelo – a quem viria a vender umas bombitas de fabrico artesanal – para saber “se a malta da guerra não o podia desenrascar”. Sempre solícito, Otelo juntou-se com mais uns amigos capitães para ver o que podiam fazer pelo amigo Senhor Anselmo. Deste brainstorming saíram dois planos: o A e o B...
Plano A: fazer do FC Porto campeão nacional de futebol e transformar o cravo no símbolo dessa vitória;
Plano B: derrubar o regime e fazer do cravo o símbolo da revolução.
Como é óbvio o plano A era o mais difícil. Os contras eram muitos: o FCP já não vencia o campeonato desde 1958/59; estávamos em Abril e já desde Novembro que o Porto estava matematicamente arredado da luta pelo título; ainda que fosse possível apenas 5 pessoas celebrariam o título e acabariam todas presas por traição à Pátria (o que as impediria de comprar os cravos). Otelo e a malta da guerra optaram pelo plano B: derrubar o regime.
Assim, decidiram-se por fazer a revolução “depois de amanhã”, mas como o Vasco estava de caganeira por causa do medicamento do Sr. Anselmo adiaram a empreitada para dia 25.
O resto é história... O Otelo e a malta da guerra fizeram a revolução, o Sr. Anselmo despachou os cravos e 32 anos depois o país inteiro continua a fazer figura de parvo...


A descer ainda mais: 25 de Abril
Há povos que merecem cada pedaço de sofrimento por que passam e o nosso é um deles. É certo que a intenção do Sr. Anselmo, do Otelo e da malta da guerra era a melhor mas, infelizmente, perderam o controlo da situação. Os comunistas dominam o país e escondem a verdade histórica da grandiosidade da nossa nação no tempo do Senhor Professor! Portugueses contemplai a luz! A Psicasténica vai-se libertar da mordaça opressora do comunismo e contar toda a verdade sobre o nosso passado!

Como era bonito Portugal antes do 25 de Abril de 1974...

Estabilidade Política: o Senhor Professor governou de 1932 a 1968 sem nunca ter tido oposição e sem necessidade de eleições.
Igualdade Social: todos os portugueses eram igualmente pobres e miseráveis o que estimulava a entreajuda e diminuía as tensões sociais.
Política de Juventude: aos jovens adultos era proporcionada uma experiência única: a Guerra no Ultramar! Toda a gente sabe que a guerra ajuda a construir o carácter e aliava-se a isso uma agradável excursão de 2 anos em África.
Proximidade Policial: havia a PIDE que era uma polícia muito especial; sempre próxima dos cidadãos e interessada nos aspectos mais irrelevantes do quotidiano dos portugueses. Um exemplo de interesse e dedicação.
Apoio à Cultura e aos Media: ainda longe de se inventar o Word com corrector automático o Estado proporcionava aos media e às entidades promotoras de espectáculos públicos um conjunto de agentes que tratavam, com os seus míticos lápis azuis, da correcção ortográfica dos textos a ser apresentados.
Futebol Espectáculo: em 41 edições do campeonato o FCP ganhou apenas 5; o Benfica venceu 21 e foi bi-campeão europeu tendo estado em 5 finais da Taça dos Campeões na década de 60.
Sistema Político: só havia um partido político e não era comunista. Poupava-se dinheiro em campanhas e sondagens.
Economia: o país estava na miséria mas a Espanha estava pior!

Ai que saudades do Senhor Professor...

quinta-feira, abril 20, 2006

Tutano


Pegando no comentário que fiz (e seguintes) ao último post do Tigrão, torna-se incontornável fazer referência a alguém que está nas bocas de toda a gente (não, não vou falar de prostituição). Nas bocas, nos ossos, nos pacotes de batatas fritas: o Tutano! Ponto prévio à mesa: estou a falar do Zé e não da Maria Adelaide (a irmã a tal das batatas fritas cujas iniciais fazem sucesso). Numa árdua visita pelos anais da história (estão a ver que não há aqui homofobia?), contactámos com pessoas que privaram com o Tutano…esse mesmo, o Zé, aquele até onde esprememos, até onde chupamos (pois…mais um sinal de tolerância) e tentámos descobrir o porquê de ele ser o limite. Porque é que se vai sempre até ao Tutano. Tozé do Grosso (velho amigo da escola) não entende porque é que se vai sempre até ao Tutano, porque diz, “ele cheirava mal como tudo, especialmente nas virilhas” (porra! Somos uma bloga mesmo tolerante e ”gay friendly”), “mas – continua – era um homem a sério”! (leram este comentário? Tão homossexual!). Já a Mãe, diz que acha normal que se vá até ao Tutano: “ele sempre saiu ao meu marido; era pequenito já me batia e coçava a tomatada às refeições (quantas erecções gay provocámos agora?), por isso é normal que as pessoas vão até ele, que isto ele é gente de bem, de modos que sim senhor…
Na Guiné, o Alferes Sr. Anselmo privou com Zé Tutano e lembra a picada no mato que terminou com os dois perdidos no mapa (e perdidos de borracheira): “comemos sapos vivos de um charco durante 3 dias até darem connosco, mas daí não passou” (lá está…se não passou, é normal que se chupem as coisas até ao tutano, não mais).
De volta à Pátria, fez de tudo um pouco e é um Zé Tutano vivido e experiente que encontramos hoje aqui:
Psicasténica – Já está habituado a andar nas bocas do mundo?
TutanoMas querem ver que eu sou algum maricas ou quê? (mais uma prova de que não temos complexos) Eu não há cá bocas do mundo nem de ninguém e pau na mão (acho que vamos ganhar o prémio Free Your Mind com esta) só a vara da apanha da azeitona!
P – Foi difícil fazer vida para si?
TNão era isso que eu fazia! Eu era agricultor…por isso era mais a apanha dos tomates (se ainda restavam dúvidas da nossa complacência para com a comunidade gay…).
P – Mas com o passar dos tempos vieram as vicissitudes…
TIsso não sei, mas vieram os comunistas que me tiraram as terras, de maneiras que…olhe vivo da reforma. Mas as reformas são uma miséria e por conseguinte o que me apetece é enfiar um pau pelo cu acima (alguém falou em macho-latinismo, intolerância e discriminação?) do Ramalho Eanes ou lá quem é que manda nisto e pronto, que isto assim não é vida!
Sub-Lodo
P.S.: e o cor de rosa nas falas do Tutano? Gaius e Anónimo...não falem antes de ver para lá das aparências!
P.S.2: sim...enquanto terminavamos a entrevista, Tutano lançou-se no negócio da comida de cão, daí a imagem: publicidade bem paga à Psicasténica!

quarta-feira, abril 12, 2006

Considerações do katano: Porquê o Bacalhau?



Compatriotas,
venho perante vós pedir que se rebelem contra a infame acusação de que somos alvo. A de que o bacalhau é um simbolo português! Num estudo rigoroso realizado pelo sociólogo Sr. Anselmo, 8 em cada 3 estrangeiros identificam a nossa nobre Nação (Portugal para os mais distraidos) com o bacalhau! O bacalhau?!? Porra, com tantos simbolos que podiamos ter escolhido porque raio é que optamos por um peixe com a cara espalmada e cheio de espinhas? O bacalhau persegue-nos! É a base da industria piscatória (juntamente com esse ser desprovido de individualidade que é a sardinha), está presente em todas as ementas de tascas, faz parte da tradição natalícia, e eu tinha um amigo que se chamava bacalhau. Coincidência?! Não creio.... E como é que um peixe feio como o raio conquista esta posição de poder? O lobby bacalhoeiro tem trabalhado bastante para isto. Habilidosas jogadas de marketing catapultaram o bacalhau para esta posição. Jogadas como a da «suposta» extinção deste ridiculo ser! Ora toda a gente sabe que quando algo está para ser extinto é que aumenta a sua procura.
Assim toda a gente quer ter o último bacalhau na sua arca de congelar (o sucesso que isso faz nas festas...). Longe vão os tempos em que ter um rolex era sinal de prestigio. Agora a onda é ter um bacalhau a secar na garagem ou congelado. E ai de quem não souber cozinhar pelo menos três pratos com bacalhau (chegaram-me aos ouvidos noticias de que o CDS-PP propõe introduzir a disciplina «Bacalhau: do mar ao prato» no quinto ano de escolaridade).
Podiamos ter seguido por algo mais másculo e perigoso como o lince, a víbora castanha ou mesmo aquele caracol enorme que vai na volta ataca as couves na horta dos mais incautos. Mas tinhamos de seguir o peixe fanhoso..... ainda para mais nem é um símbolo exclusivo dado que temos que o partilhar com os Noruegueses. Não podiamos ter algo só nosso?? Não havia nada exclusivo quando tivemos de escolher?!?
É assim que querem ser lembrados quando tiverem a engatar umas estrangeiras??! O país do bacalhau??

VOCÊ - «Olá miuda, queres vir curtir com um português?»
ESLOVACA - «Isso não é o país que tem como simbolo tradicional o bacalhau??? Que horror! Antes morrer virgem!»

Lamento, mas não é assim que quero ser recordado. Se calhar acham que o bacalhau a que Quim Barreiros se referia era o peixe, não era? Já fomos uma das nações mais poderosas do Mundo. Já fomos dono de metade dele e tudo (este tipo de informação esconde-se nos livros de história). Fomos dos melhores navegadores que existiram, descobrimos caminhos maritimos e terrestres, mandavamos no Brasil e na melhor parte de África, temos um vinho mundialmente famoso, fomos o primeiro país a abolir a pena de morte, tivemos o euro 2004, etc... E no entanto a coisa com que nos identificam é com um peixe que se não for bem regado com azeite sabe mal à brava.....
Compatriotas.... juntem a vossa voz à minha. Todos juntos por um novo símbolo para Portugal (aceitam-se sugestões).

Um patriótico abraço (que deve ser algo como um abraço com o uniforme da selecção)